Projeto proíbe nomes de pessoas condenadas em estruturas públicas

Por DICOM
02/07/2019 09h40 - Publicado há 21 dias
Projeto de Amália proíbe nomes de pessoas condenadas em estruturas públicas no TO
Projeto de Amália proíbe nomes de pessoas condenadas em estruturas públicas no TO
DICOM / HD

Com objetivo de coibir atos de improbidade e crimes contra a administração e o erário público a deputada Amália Santana (PT) apresentou Projeto de Lei (PL) que altera a Lei nº 821/96, e veda a denominação de logradouros, obras, prédios e monumentos públicos com nomes de pessoas que tenham sido condenadas.

De acordo com o PL, a vedação é válida para aqueles que tenham contra si ou contra uma empresa em que faça parte condenação pela Justiça Eleitoral em processo de abuso de poder econômico e político ou condenação por órgão colegiado por crimes contra a economia popular, a fé pública, a fazenda pública, a administração pública e o patrimônio público; contra o patrimônio, privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na Lei que regula a falência; contra o meio ambiente e a saúde pública; de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; improbidade administrativa: praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando, na forma simples; tráfico de influência; crimes hediondos, bem como os crimes que são equiparados, na forma da Lei especial; de redução à condição análoga à de escravo; maus tratos aos animais; os que forem considerados indignos do oficialato ou com ele incompatíveis.

A deputada Amália Santana explicou que após sua aprovação, a Lei prevê um período de um ano para que o poder público faça o levantamento dos logradouros e prédios públicos nessa condição. “Depois disso, esses prédios precisam ser  renomeados e é fundamental que o Poder Público seja mais criterioso no momento da escolha das pessoas a serem homenageadas publicamente”, disse ela.

Ações semelhantes foram implementadas em  países como  a Alemanha, que  após o término da Segunda Guerra Mundial , erradicou  todas as homenagens  ou referências  ao nazismo. 

O projeto de Lei seguirá as regras formais de tramitação na Assembleia Legislativa e deve ser encaminhado a Comissão de Constituição e Justiça.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
MAIS NOTÍCIAS